Home Atualidades Brasília Sindetran-DF repudia ataque contra a vida de agentes de trânsito

Sindetran-DF repudia ataque contra a vida de agentes de trânsito

O sindicato dos servidores do Detran-DF (Sindetran), em nota divulgada nessa quinta-feira (10), repudiou a ação do coronel da PM Jackson Douglas Ferreira, que se recusou a que fazer o teste do bafômetro e disparou quatro tiros de arma de fogo contra agentes de trânsito do departamento. Um dos tiros acertou as costas de um, mas sem gravidade, pois usava colete balístico. O ato aconteceu durante uma operação de rotina, em Águas Claras, na noite do dia 10.

Na nota, o Sindetran alerta que é urgente a providência, por parte do GDF, de equipamentos de segurança para preservar a vida dos agentes de trânsito. “Felizmente no Detran/DF usamos colete balístico, mas isso não garantiria a sobrevivência dos Agentes caso houvesse reinvestida do atirador, e até porque o colete só protege o tórax”.

Leia a nota na íntegra:

Frequentemente somos alvos de pessoas que não entendem que o papel de um Agente de Trânsito é zelar pela vida das pessoas.

Este é um mal exemplo de policial militar que, teoricamente tem o dever de preservar vidas. A rotina arriscada de abordagens onde recuperamos carros furtados, sequestro relâmpago, pessoas alcoolizadas é frequente, mas nunca esperaríamos isso de um policial militar. Todos os dias passamos por situações de agressões, sejam elas físicas ou verbais…. até quando? Se faz urgente e necessário que o GDF compreenda a necessidade de trabalharmos com equipamentos de segurança.

Tramitam no congresso nacional projetos que versam sobre o porte de arma aos Agentes de Trânsito. Situações como esta comprovam a necessidade urgente de aprovação do porte de armas aos fiscais de trânsito.

Felizmente no Detran/DF usamos colete balístico, mas isso não garantiria a sobrevivência dos Agentes caso houvesse reinvestida do atirador, e até porque o colete só protege o tórax. A medida de retenção do atirador (com o uso da taser) foi essencial para que algo mais grave não ocorresse.

Hoje, graças a Deus e a este equipamento, não estamos enterrando um colega de trabalho.

Que fatos assim sirvam para a sociedade, a Direção Geral e o GDF nos olhem com mais atenção e nos tratem de fato e de direito como órgão da segurança pública que somos atualmente, conforme prevê o artigo 144 da Constituição da República. Trabalhamos para preservar vidas e queremos estar devidamente equipados pra isso.

O Sindetran-DF esteve acompanhando toda a ocorrência e agradece a presença do Diretor Geral, Silvaim Fonseca, na 21 DP.

Nossos agradecimentos ao Batalhão da Policia Militar de Águas Claras que prontamente nos atendeu e deu todo o apoio nesta ocorrência demonstrando que os atos deste senhor policial não condiz com a forma de agir da corporação.

Fonte: CUT Brasília