Home Atualidades Reitor da Universidade do Sul da Bahia renuncia e denuncia desmonte pós-golpe

Reitor da Universidade do Sul da Bahia renuncia e denuncia desmonte pós-golpe

O reitor da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Naomar Almeida Filho, pediu exoneração do cargo nesta segunda-feira (2), denunciando o boicote a “inovações curriculares de maior potencial inclusiva”, como a redução de vagas em curso de saúde, e articulações políticas que visam a sua substituição, a partir de uma eleição que, segundo ele, exclui a sociedade do processo de escolha dos dirigentes, em desacordo com a estatuto da universidade.

Em carta aberta, Naomar Almeida Filho comparou o movimentação pela sua substituição num processo, segundo ele, ilegítimo, com o contexto da atual crise política que afeta o país, desde o golpe do impeachment que alçou Michel Temer à presidência da República.

“Que tipo de política estariam praticando os que promovem esse golpe? Certamente a de mais baixo nível, incompatível com a dignidade da instituição milenar da Universidade. Qual a diferença disso para a trágica, lamentável e vergonhosa crise política do país, depois do triste espetáculo de um impedimento presidencial injusto, embora protegido pelo manto da legalidade?”, questiona o reitor demissionário.

O sociólogo português Boaventura de Sousa Santos, professor aposentado da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, afirmou que a universidade brasileira “perde um dos seus mais inovadores dirigentes”, e disse que parte da comunidade acadêmica está “consternada e revoltada”, pelos motivos expostos por Almeida Filho para justificar a sua saída.

“Naomar foi sem dúvida, do meu conhecimento, o alto dirigente universitário que levou mais longe e mais fundo o projeto de democratizar social, política, cultural e epistemologicamente a universidade. A universidade brasileira perde um dos seus mais inovadores dirigentes e essa perda reflete-se em toda a comunidade acadêmica brasileira e latino-americana e, de maneira muito particular, no Centro de Estudos Sociais e na Universidade de Coimbra, que tinham com a UFSB um convênio de cooperação muito vinculado às inovações que estavam ter lugar no Sul da Bahia”, ressalta Boaventura.

Fonte: Rede Brasil Atual