Home Campanhas Particulares de TI rejeitam proposta de reajuste e lançam contraproposta

Particulares de TI rejeitam proposta de reajuste e lançam contraproposta

Os trabalhadores particulares de TI rejeitaram, por unanimidade, a proposta da campanha salarial 2017/2018 feita pelo patronal, na assembleia desta terça-feira (13). O reajuste oferecido foi de 3,67% nos salários e também no tíquete-alimentação, o que não contempla nem mesmo a reposição da inflação que foi de 4,08% no período.

Frente à rejeição, uma contraproposta foi aprovada pelos trabalhadores. Eles reivindicam 5% de reajuste de salário e R$ 3 de aumento no tíquete alimentação para as jornadas de trabalho de seis e oito horas.
Outro ponto discutido na assembleia foi a proposta do patronal de fazer uma Convenção Coletiva de Trabalho bienal.

Durante a última rodada de negociações, os patrões alegaram a necessidade de adequar a assinatura da convenção para ser um acordo válido de 2016 a 2018. Segundo os empresários, a medida seria necessária para repactuação dos contratos com os órgãos de governo.

A condição dos trabalhadores para aceitarem essa proposta é de que, na próxima mesa de negociação, o sindicato patronal acate a contraproposta da categoria.

Para o diretor do Sindpd –DF, Osiel Rocha, era certa a rejeição de uma oferta tão baixa, como a colocada. “A categoria sabe dos seus direitos e está atenta com o que o patronal impõe. Sabemos que a próxima rodada de negociação não será fácil, mas esperamos que eles aceitem o que propomos para que a campanha salarial tenha um desfecho positivo para todos”, afirmou.

Fonte: CUT Brasília com informações do Sinpd-DF