Início Atualidades Brasil CUT Brasília traça agenda de lutas contra retrocessos

CUT Brasília traça agenda de lutas contra retrocessos

Em reunião deliberativa, realizada na tarde dessa quarta-feira (3), a CUT Brasília definiu os rumos das lutas em defesa da democracia e contra os ataques aos direitos, instaurados no Brasil após o golpe parlamentar. Participaram do encontro a direção estadual da Central, além de dirigentes sindicais representantes das entidades filiadas e oposições organizadas.

Os trabalhadores discutiram temas como a continuidade da luta contra a Reforma da Previdência e a participação da base no Ocupa Porto Alegre, em defesa de Lula e da democracia, que será realizado no dia 24 de janeiro. Neste dia, acontecerá o julgamento em segunda instância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Operação Lava Jato. Lula, que iniciou o projeto de um Brasil mais justo e igualitário – processo interrompido pelo golpe de Michel Temer – foi condenado injustamente e sem provas a 9 anos e meio de prisão pelo juiz Sérgio Moro.

Na reunião dessa quarta, os trabalhadores definiram um calendário de atividades que se inicia no dia 13 de janeiro, quando será realizada panfletagem e ato cultural na feira Central de Ceilândia, para dialogar com a sociedade sobre os projetos nefastos de Michel Temer e a necessidade de unificação da luta em defesa dos direitos e da democracia. A ação se repetirá nos dias 19, 22 e 23, mas, nesses dias, na Rodoviária do Plano Piloto. E em 23 de janeiro, dia que antecede o julgamento de Lula, a classe trabalhadora iniciará vigília em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF), em solidariedade ao companheiro.

“É essencial que os sindicatos se organizem e colaborem para engrossar essa luta. Convocamos os trabalhadores a construírem mais mobilizações contra as medidas deste governo ilegítimo e em defesa de Lula, pois eleições sem Lula é fraude. Somente com democracia poderemos barrar a retirada de direitos. Por isso, precisamos ampliar esse debate e marcar ainda mais nossa posição”, explicou o secretário-geral da CUT Brasília, Rodrigo Rodrigues.

Outro ponto de destaque na reunião deliberativa foi a Reforma da Previdência, que tem votação no Congresso agendada para o dia 19 de fevereiro. Diante da necessidade de barrar a medida, os trabalhadores definiram a data como um Dia de Luta. As atividades ainda serão construídas e definidas em conjunto com os trabalhadores, mas a previsão é de que sejam realizados atos e uma possível greve da classe trabalhadora.

“Em um ano em que o cenário é desfavorável para classe trabalhadora, em que o aprofundamento do golpe já mostra seus reflexos negativos para a população, nós, da CUT Brasília, convocamos toda nossa base a começar o ano com muita força e unidade. Precisamos manter acessa a mobilização, pois somente assim, conseguiremos defender nossos direitos e, principalmente, a democracia do nosso país”, concluiu Rodrigo Rodlrigues.

Fonte: CUT Brasília