Home Atualidades Brasil Ameaça de Greve faz governo recuar

Ameaça de Greve faz governo recuar

A pressão da classe trabalhadora e a garantia de mais uma grande greve que pararia o Brasil fez com que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), anunciasse a inviabilidade de votar a reforma da Previdência (PEC 287) no próximo dia 6 de dezembro. Com o recuo do governo, a Greve Nacional do dia 5 foi suspensa.

Todo o país estava mobilizado para parar nesta terça-feira. No DF, rodoviários, professores, bancários e muitas outras categorias já haviam confirmado a adesão à Greve Nacional. A suspensão da atividade, todavia, não significa o enfraquecimento da luta da classe trabalhadora. Ao contrário: dá ainda mais força ao movimento que ganha diariamente novas adesões.

“Independente desse adiamento, vamos continuar a mobilização, a pressão sobre os parlamentares. Estaremos preparados para o enfrentamento que, a qualquer momento, pode exigir a retomada da greve para defender as nossas aposentadorias”, afirma o presidente da CUT Brasília, Rodrigo Britto.

De acordo com Maia, o governo não tem os 308 votos necessários para votar a reforma da Previdência e, agora, a base governista trabalha com o cenário de colocar a PEC 287 em votação no dia 12 de dezembro. A intenção é votar a proposta em dois turnos até dia 20 deste mês.

A nota de suspensão da Greve Nacional foi publicada nesta sexta-feira (1/12), no site da CUT Nacional.

Fonte: CUT Brasília