CUT 37 ANOS | Seguimos na luta permanente pelos direitos da classe trabalhadora

A CUT nasceu em 1983, em oposição à repressão, à censura, à violência, à tortura e morte de quem se voltasse contra o sistema. Ela se construiu para escancarar a obscuridade do tal milagre econômico, realizado à custa do achatamento dos salários dos trabalhadores, da glorificação do empresariado e dos mais ricos, da concentração de renda e do arranque da desigualdade social ocultada pelo governo.

A CUT é a materialização da voz de milhões de brasileiras e brasileiros que saíram às ruas em defesa das eleições diretas, e ainda embrionária colocou nas ruas do Brasil multidões em protesto pelo direito de construir dias mais justos para o povo, driblando a retaliação dos gigantes da comunicação aliados aos ditadores.

A CUT se ergueu contra um governo que, com o aparato da violência policial, desarticulava os movimentos sociais ao mesmo tempo em que se pavimentava na transgressão dos direitos humanos, colocando no papel a proibição dos debates sobre raça, gênero, sexualidade e realizando na prática torturas contra mulheres, gays, lésbicas, transexuais, negros, indígenas, camponeses.

Hoje, 37 anos após um nascimento realizado pela força popular, a CUT se mostra, mais que nunca, imprescindível. Diante de um governo que idolatra torturadores e todas as medidas sociopolíticas e econômicas vindas desse período, a CUT se fortalece para colocar de volta nos bueiros aqueles que nunca se conformaram com a ascensão da classe trabalhadora; daqueles que se revoltam ao ver pobre andando de avião; daqueles que reprimem a inserção de negras e negros nas universidades; daqueles que chamam trabalhadores sem terra de terroristas, indígenas de preguiçosos e se referem à quilombolas como se fossem gado; daqueles que normalizam a cultura do estupro e todas as violências contra as mulheres; daqueles que, isolados em seus palácios, banalizam a morte de quase 119 mil pessoas pela Covid-19 e instigam a volta massiva de trabalhadoras e trabalhadores para seus locais de trabalho, ao mesmo tempo que negam qualquer tipo de assistência do Estado.

Hoje, com princípios consolidados, a CUT prova que é um dos principais instrumentos de organização da classe trabalhadora e de conscientização de classe. É com a Central Única dos Trabalhadores que, assim como quase quatro décadas atrás, mudaremos o rumo deste país, que não pode se conformar com a volta de um passado obsceno e assassino, regado pelo fundamentalismo religioso, pelo conservadorismo e pela negação da ciência; carente de qualquer tipo de civilidade. O povo brasileiro merece ser feliz! E é com a CUT que mudaremos o rumo do nosso Brasil.

Parabéns Central Única dos Trabalhadores!

Deixe um comentário:

Digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome