ARTIGO | Declaração Universal dos Direitos Humanos – A Luta continua!

Por Cleber Ribeiro Soares*

Hoje 10 de dezembro celebra-se 71 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Apesar de ser septuagenária, a carta ainda está à frente de nosso tempo, o seu texto reafirma direitos que definem o que deve ser básico a um ser humano. Direito à vida, à saúde, educação, à infância, habitação digna, ao livre pensamento e expressão, ao direito de ir e vir, à um julgamento justo e imparcial são alguns conceitos centrais que nortearam e se materializaram na Declaração Universal dos Direitos Humanos. Porém para além do papel, ainda falta muito a caminhar.

Nas ruas de nosso país, de nossas cidades, todos os dias, é possível identificar cenas de desrespeitos aos direitos humanos. Aumento da população em situação de rua e desemprego, descaso com a saúde e educação, sucateamento dos espaços públicos culturais, produção virtual e real de preconceitos às diversidades de gênero, raça e identidade sexual formam o conjunto de ações que negam o direito de ser humano. A identificação distorcida da defesa dos direitos humanos, que é percebida por grande parte da população e reforçada através de redes sociais e mídias comerciais representantes de uma elite escravocrata, conservadora e preconceituosa, mantem a distância entre a Declaração Universal dos Direitos Humanos e a concretude da vida cotidiana. O nosso desafio é contribuir para que o conjunto da sociedade compreenda que defender os direitos humanos é respeitar o direito de ser humano.

Hoje é dia de celebrar, mas, é sobretudo, momento de fazer um balanço do quanto ainda a sociedade brasileira precisa caminhar para garantir que todos e todas tenham respeitada sua dignidade humana e direito pleno à cidadania. Por isso, é preciso reforçar as lutas contra toda forma de preconceito, a partir de debates e ações concretas construídas coletivamente pelas diversas categorias.

A LUTA CONTINUA!

*Cleber Ribeiro Soares é professor da rede pública de ensino do DF e secretário de Políticas Sociais e Direitos Humanos da CUT Brasília

Deixe um comentário:

Digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome