14º CECUT | Com Lula Livre, luta da classe trabalhadora será fortalecida e povo poderá voltar a sonhar

Por volta das 16h30 desta sexta (8), a coordenação do 14º Congresso Estadual da CUT Brasília resolveu pausar a programação do encontro. O espaço de discussão deu lugar a um grande telão que exibiu ao vivo a saída histórica do presidente Lula da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Delegadas/os e observadoras/es assistiam atentas/os à transmissão e demonstravam a certeza de que, a partir desse novo capítulo da história do Brasil, a classe trabalhadora poderá voltar a sonhar.

“Entendemos que com Lula livre, com Lula nas ruas, haverá, sem sombra de dúvida, um enorme fortalecimento do processo de luta da classe trabalhadora. Aquilo que falávamos, que Lula representa a síntese do acúmulo da luta da classe trabalhadora no último meio século, agora se fará concreto, a partir da construção da luta e da unidade da classe trabalhadora”, afirma o secretário-geral da CUT Brasília, Rodrigo Rodrigues.

Para ele, a liberdade de Lula “é uma questão de justiça”, pois encerra a prisão política de Lula, que durante 580 dias envergonhou o Brasil por fazer parte de um processo antidemocrático e inconstitucional. “A Central Única dos Trabalhadores precisa agora, mais do que nunca, estar preparada para enfrentar os ataques do capitalismo, a desregulamentação do trabalho, e lutar pela garantia de conquistas e de direitos, pela retomada de crescimento do Brasil com emprego, saúde e educação para todo povo”, avalia.

Quando a transmissão da liberdade de Lula mostrou o eterno presidente cruzando os portões azuis da PF, gritos, abraços e um choro de alívio e de emoção tomaram conta do Teatro dos Bancários de Brasília. Já no palanque, Lula, com serenidade, disse: “No meu coração só tem espaço para o amor, e é o amor que vencerá!”. A postura do presidente preso injustamente por 580 dias é um alento diante da proliferação crescente de discursos de ódio proferidos por quem hoje, indignamente, ocupa a principal cadeira do Executivo Federal.

“Agora, com a liberdade de Lula, conseguimos olhar pra frente e ter a esperança de Paulo Freire, de voltar a ter um país que tenha uma educação pública e que oportunize a educação para todas e todos, sem nenhuma discriminação”, disse a dirigente do Sinpro-DF (Sindicato das/dos Professoras/es do DF), Rosilene Correia.

E Lula livre não retoma apenas a esperança de uma educação que liberta. Ao voltar para os braços do povo, o metalúrgico nordestino que virou presidente do Brasil faz com que os diversos seguimentos da sociedade enfrentem com mais força os ataques sistemáticos do governo Bolsonaro.

“A liberdade de Lula representa um novo momento nesse processo de resistência contra o golpe. Lula representa o conjunto da classe trabalhadora, e agora ele vai viaja o Brasil todo para falar em cada canto desse país o que significa esse governo fascista de Bolsonaro, e isso vai reascender a esperança do povo brasileiro”, avalia a professora Vilmara Pereira, que integra a Marcha Mundial das Mulheres.

A saída de Lula da Superintendência da Polícia Federal de Curitiba foi realizada após o Supremo Tribunal Federal mudar o entendimento sobre as prisões em segunda instância. Na ultima quinta-feira (7), a Corte retomou a votação do tema e decidiu que o cumprimento da pena só será efetivada quando não houver mais recursos pendentes.

Entretanto, a luta por justiça para Lula continua. É o que avalia o presidente do PT DF, Jacy Afonso. “Agora é momento da mudança de Lula Livre para Lula Inocente. Ele continua condenado injustamente por Sérgio Moro e, portanto, nós precisamos pressionar para que se anule todos os processos contra Lula. Ele não cometeu crime e precisa ser inocentado para poder concorrer às eleições de 2022.”

Fonte: CUT Brasília | Fotos: Allen Mesa

Deixe um comentário:

Digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome