Conferência Democrática de Assistência Social debate desmonte das políticas públicas

Coletivo composto por 278 entidades dos movimentos sindical e sociais realizará nos dias 25 e 26 de novembro, em Brasília, a Conferência Nacional Democrática de Assistência Social. A atividade contrapõe-se à negligência do governo Bolsonaro, que atua no sentido de destruir as políticas de assistência social no país.

Desde 1995, a cada dois anos, a Conferência Nacional de Assistência Social foi realizada pelo governo federal. O evento, feito sempre na primeira semana de dezembro, reunia representantes do governo e da sociedade civil para debater a implementação de políticas públicas no país.

Este ano, no entanto, em meio a um cenário de destruição de direitos e de retrocesso, o evento institucional não será realizado. Isso porque o ministro da Cidadania, Osmar Terra, cassou a convocação e revogou a realização da atividade.

Diante disso, a Conferência Nacional Democrática de Assistência Social nasce como um espaço de resistência e ato político, com a expectativa de reunir pelo menos 600 pessoas, com foco na participação dos próprios usuários das políticas de assistência social.

“Estamos privilegiando a participação dos usuários das políticas públicas. Entre eles, movimentos sociais por moradia, LGBTIQs, trabalhadores rurais e outros. Nossa ideia é que essa conferência se caracterize pela participação deles. Até para que tragam para a discussão o que representa o desmonte dessas políticas em suas vidas”, disse uma das organizadoras do evento, Marlene Azevedo.

Para a realização da conferência nacional, estão sendo realizadas outras etapas nos municípios e estados. O objetivo é preparar os participantes para os debates na capital federal. Algumas dessas conferências, inclusive, ocorrem de forma independente, sem qualquer apoio das gestões locais.

A programação

A Conferência Democrática conta com uma ampla programação envolvendo debates sobre temas diversos. No dia 25 de novembro, a abertura do evento acontece às 9h, no auditório da Associação dos Docentes da Universidade de Brasília (ADUnB). A atividade se estende por todo o dia e será encerrada com dinâmicas culturais.

Já no dia 26, os participantes se reúnirão novamente na ADUnB para dar continuidade aos debates. A primeira parte da atividade será encerrada com a leitura de uma Carta em Defesa do Direito à Assistência Social.

No período da tarde, para encerrar a Conferência Democrática, será realizada audiência pública no Auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados, às 14h. A ação debaterá os impactos da Emenda Constitucional 95/2016 na vida da população.

Confira a programação completa aqui

A inscrição

O evento é aberto ao público, porém, para assegurar a organização, a participação demanda inscrição prévia. As inscrições devem ser realizadas até 8 de novembro aqui

Financiamento

Um dos maiores desafios para a realização do evento tem sido o custeamento das despesas. Isso porque a maior parte dos recursos é proveniente de doações de organizações diversas.

Além de alimentação para os participantes, aluguel do espaço de realização do evento e outras despesas, o grupo organizador pretende custear a viagem e hospedagem de 50 usuários das Políticas de Assistência Social.

As entidades que tiverem interesse em fazer parte do financiamento coletivo, podem colaborar aqui

Fonte: CUT Brasília

Deixe um comentário:

Digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome