Sindetran-DF repudia cancelamento da Semana Nacional do Trânsito

A Semana Nacional do Trânsito que deveria ter começado nessa quarta-feira (18) foi cancelada pelo governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB). A justificativa são os recentes acidentes que ocorreram na capital federal.

A Campanha, que acontece há vários anos e envolve diversas ações, tem como objetivo conscientizar os motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres sobre a importância das leis de trânsito e o respeito ao próximo.

Diante do cancelamento, o Sindicato dos Trabalhadores do Detran-DF (Sindetran/DF) lançou uma nota repudiando a “atitude condenável do governador”. Para a entidade, ao suspender as ações, Ibaneis demonstra negligência com o tema “Trânsito Seguro” e deixa clara a ausência de uma política eficaz voltada para o tema.

Além disso, o Sindetran denuncia o sucateamento do Detran e a  falta de investimentos no órgão, que tem papel fundamental na promoção de um trânsito mais seguro.

Leia a nota completa:

NOTA PÚBLICA

Suspensão da Semana Nacional de Trânsito

O Sindetran-DF (Sindicato dos servidores do Detran/DF) vem a público manifestar a sua completa indignação mediante a atitude condenável do Governador do Distrito Federal de suspender todas as ações da Semana Nacional de Trânsito, instituída por Lei Federal (CTB) e realizada em todas as unidades da federação.

A Semana Nacional de Trânsito não é um momento de festa, como o Governador imagina, e sim uma época de ressaltar a importância de uma cultura de paz e responsabilidade no trânsito visando a melhoria de vida em sociedade.

Ao suspender todos os eventos de cunho educativo e as campanhas de conscientização realizadas perante a população na Semana Nacional de Trânsito, o Governador demonstra sua negligência com o tema “Trânsito Seguro” e explicita a falta de uma política de trânsito em sua gestão.

O Sindetran-DF considera equivocada a decisão do Governador, onde buscando justificar a falta de política de trânsito em seu governo, que nomeou pessoas sem o menor conhecimento da área para gerir o trânsito do Distrito Federal, cancela campanhas educativas e ações de conscientização, fato que só contribui para a insegurança nas vias do DF. Parece-nos que a preservação da vida e o bem-estar da população não é a prioridade desta administração que apresenta mais preocupação com contratos do que com a vida da população brasiliense.

Além disso, acrescentamos que as deficiências no atendimento, na pintura de faixas e outras áreas é fruto da ingerência política que ocorre na Autarquia desde o governo anterior e continuando no atual. O Detran tem sido sucateado. A frota de veículos e condutores praticamente triplicou e o quadro de pessoal foi reduzido pela metade, devido a aposentadorias e morte de servidores. Hoje temos 500 vagas no quadro, para recomposição por concurso público. Infelizmente a prática tem sido a descontinuidade administrativa com sucessivas trocas de direções e diretorias.

Nesse governo, só na Diretoria de Engenharia de Trânsito, por exemplo, já tivemos três diretores diferentes. E todos são de outros Estados, não conhecem a realidade do DF, foram nomeados pelo Governador e não pertencem ao quadro técnico do Detran.

Desde o início do Governo, alertamos o Governador sobre as carências do Detran e sobre a necessidade de valorizar a parte técnica, não permitindo ingerência da parte política.

Lutamos por um Detran público e de qualidade, que na capital do país essa Autarquia possa ser exemplo de eficiência e boa gestão, investindo em todas as áreas técnicas, afim de prestar um bom atendimento à população do DF.

Fonte: CUT Brasília

Deixe um comentário:

Digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome