Maioria da bancada do DF na Câmara dá golpe no povo brasiliense

Recentemente, a CUT Brasília realizou um levantamento indicando que, dos oito deputados da bancada do DF na Câmara dos Deputados, apenas dois votariam contra a reforma da Previdência de Bolsonaro. E, nessa quarta-feira (10), quando a proposta foi votada no Plenário da Casa, o cenário foi confirmado.

Somente a deputada Erika Kokay (PT-DF) e o deputado Professor Israel (PV) se posicionaram a favor do povo e votaram contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 006/2019) que retira do brasileiro o direito de se aposentar. Já os demais parlamentares, como era esperado, deram um duro golpe no povo brasiliense.

Os votos de Bia Kicis (PSL) e Luis Miranda (DEM) já estavam certos. Foram favoráveis ao desmonte da Previdência Social. Já Flávia Arruda, Julio Cesar Ribeiro e Paula Belmonte, que se diziam indecisos,  também votaram a favor da reforma da Previdência Bolsonaro.

A PEC ainda passará por outra votação na Câmara antes de seguir para o Senado. A  previsão é que a discussão ocorra  ainda nesta semana. O presidente da CUT Brasília, Rodrigo Britto, ressalta que esses parlamentares que votaram contra o povo serão lembrados nas próximas  eleições. Porém, ele destaca que a pressão deve continuar.

“É preciso que o povo de Brasília fique alerta e grave esses nomes. A pressão ainda não terminou. Devemos continuar com as ligações, mensagens e conversas com os parlamentares, exigindo que eles cumpram seu compromisso com o povo. De qualquer forma, os parlamentares vão arcar com as suas decisões”,disse.

Fonte: CUT Brasília 

Deixe um comentário:

Digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome