Tod@s à Câmara nesta quarta (10); pressão sobre parlamentares continua

Trabalhadoras e trabalhadores de todas as categorias, do campo e da cidade, do setor público e privado, realizarão ato nesta quarta-feira (10), contra a reforma da Previdência. A atividade está agendada para 14h, em frente ao Anexo II da Câmara dos Deputados.

“É imprescindível que a classe trabalhadora esteja unida e mostre para o Congresso e para o governo que não vai aceitar que desmontem a nossa Previdência Social, retirem nossa aposentadoria e impeçam a execução da assistência social viabilizada pelo atual sistema. Temos que continuar pressionando, ligando nos gabinetes, mandando mensagens, conversando com os parlamentares. Hoje, todas e todos à Câmara”, convoca o presidente da CUT Brasília, Rodrigo Britto.

A discussão da reforma da Previdência (PEC 06/2019) no Plenário da Câmara dos Deputados começou nessa terça (9) e foi madrugada adentro. A oposição chegou a apresentar um requerimento de retirada da reforma da Previdência da pauta. O requerimento, entretanto, recebeu 331 votos contrários e 117 favoráveis.

Dos parlamentares que representam o DF na Câmara dos Deputados, apenas a deputada Erika Kokay (PT) e o deputado Professor Israel (PV) votaram favoráveis à retirada da reforma da Previdência da pauta. Bia Kicis (PSL), Flávia Arruda (PL), Julio Cesar Ribeiro (PRB), Luis Miranda (DEM) e Paula Belmonte (CIDADANIA), que completam a bancada de parlamentares do DF, votaram contrários ao requerimento da oposição.

Leia também: Apenas 2 parlamentares do DF na Câmara são contrários à reforma da Previdência

Para encerar a discussão sobre a reforma da Previdência, foram 353 votos favoráveis. Também neste placar, da bancada do DF, apenas a deputada Erika Kokay e o deputado Professor Israel votaram contrários. Os demais, votaram sim para que se encerrasse o debate sobre o tema e se avançasse para a fase de votação do texto-base e dos destaques.

“É um absurdo que se esteja encerrando essa discussão (sobre a PEC 06/2019). Nós estamos falando da vida de milhões de brasileiros e brasileiras. E aqui se fala que essa reforma é um ato de coragem? Esses que isso falam, não têm coragem de tirar a isenção de R$ 84 bilhões do latifúndio. Esses que isso falam, não têm coragem de enfrentar uma sonegação de quase meio trilhão, ou de taxar as grandes fortunas, os lucros e os dividendos”, criticou a deputada Erika Kokay (PT) em discurso no Plenário, nessa terça.

Segundo o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a retomada da apreciação do texto da reforma da Previdência será feita nesta quarta-feira (10), às 10h30. Como os debates sobre a proposta foram encerrados nessa terça, hoje estará em análise a votação do texto-base e dos destaques à PEC.

Fonte: CUT Brasília

Deixe um comentário:

Digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome