Greve Geral do dia 14 está a todo vapor

Não há motivos para ficar de fora da Greve Geral do próximo dia 14 de junho. As políticas de retrocesso e retirada de direitos implementadas pelo presidente Jair Bolsonaro e sua equipe convulsionam as diversas categorias de trabalhadores, que já confirmaram a paralisação das atividades daqui poucos dias. A Plenária da Classe Trabalhadora – Rumo à Greve Geral, realizada nesta segunda (10), comprovou isso.

Deputado distrital Chico Vigilante | Foto: Alen Mesa

Na atividade, representantes dos trabalhadores comerciários, bancários, trabalhadores da limpeza urbana, aeroportuários, portuários, urbanitários, professores, servidores públicos e diversas outras categorias mostraram que estão determinados a fazer a maior greve geral da história.

Segundo o deputado distrital Chico Vigilante (PT), que participou da Plenária, “ninguém deve ter dúvidas se deve ou não participar da Greve Geral”. “Os ataques desse governo atingem todo mundo. E se você acha que não será afetado, pense no ataque à democracia”, reflete o parlamentar.

Panfletagem

Presidente da CUT Brasília, Rodrigo Britto | Foto: Alen Mesa

De acordo com o presidente da CUT Brasília, Rodrigo Britto, é essencial que se faça o diálogo sobre os motivos da Greve Geral não só com as categorias de trabalhadores, mas com a sociedade em geral. “Esse governo é tão nefasto que faz pessoas que serão prejudicadas defender a reforma da Previdência”, denuncia.

Uma série de panfletagem sobre os motivos que levam à Greve Geral vêm sendo realizadas em todo o DF pela CUT e sindicatos filiados. A última, realizada em conjunto com outras centrais sindicais, foi feita nessa sexta (7), na Rodoviária do Plano Piloto. Na próxima quinta-feira (13), um dia antes da Greve Geral, sindicalistas e militantes CUTistas sairão novamente às ruas para dialogar com a sociedade e mobilizar para o movimento paredista. A atividade será às 16h, na Rodoviária do Plano Piloto.

Saiba mais sobre a Greve Geral e suas bandeiras de luta em http://bit.ly/2vBbaS1

Fonte: CUT Brasília

Deixe um comentário:

Digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome