Movimentos LGBTs realizam ato unificado pela criminalização da LGBTfobia.

Nesta quinta (23), o Supremo Tribunal Federal (STF) retoma o julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão (ADO) 26, proposta pelo PPS, e do Mandado de Injunção (MI) 4.733, que têm como objetivo criminalizar a homofobia ―  equiparando- a ao racismo.

Para pressionar o judiciário e demonstrar resistência em torno do tema, movimentos e organizações LGBTs  preparam grande ato unificado. A ação, que  acontece em frente ao STF,  está prevista para começar às 13h e contará com a participação da cantora Daniela Mercury.

“Resolvemos unificar nossa voz para dizer ao Brasil que a LGBTfobia é crime, sim. Precisamos que o STF criminalize já. Hoje, a cada 19 horas, temos um assassinato de um LGBTe não estamos mais aguentando a realidade  de ser o país que mais mata  LGBT, mesmo com tantas política públicas implantadas. Precisamos de uma lei que nos garanta uma vida sem medo” , avaliou o presidente da União Brasiliense LGBT (UNILGBT), Henrique Elias.

A análise do tema  foi suspensa em 21 de fevereiro. Até o momento, quatro dos 11 ministros do Supremo votaram favoráveis à equiparação da homofobia ao crime de racismo, regido pela Lei Federal 7.716.

 

Fonte: CUT Brasília

Deixe um comentário:

Digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome