Trabalhadores da Eletronorte rejeitam proposta da Eletrobras para ACT e aprovam indicativo de greve

Em assembleia realizada nessa quarta (15), a categoria na Eletronorte, em Brasília, rejeitou a proposta da direção da Eletrobras para o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT  2019). Na terça (14),  os trabalhadores de Furnas também votaram pela rejeição.

Os urbanitários seguiram  encaminhamento do Coletivo Nacional dos Eletricitários (CNE) de rejeitar as 14 cláusulas que a empresa pretende modificar, retirar ou incluir no ACT. A orientação do CNE é recusar todas as modificações e aprovar as demais, no total de 30 cláusulas que compõem o ACT vigente.

Os trabalhadores na Eletronorte também aprovaram indicativo de greve para os dias 3, 4 e 5 de junho, assim como a reivindicação de manutenção dos ACTs Específicos e Termos de Compromisso.

Durante a 3ª rodada de negociação, a direção da Eletrobras apresentou proposta de reajuste de 1% em todas as cláusulas econômicas, quando a inflação no período foi de 4,47%, segundo o índice ICV-Diesse.

Além disso, a direção da Eletrobras pretende retirar do ACT três cláusulas que abrem caminho para demissão em massa, ampliação da terceirização e, consequentemente, privatização da maior empresa de energia elétrica da América Latina.

Saiba quais são as cláusulas

Fonte: STIU-DF com edições da CUT Brasília

 

Deixe um comentário:

Digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome