Aula pública na UnB alerta juventude sobre malefício da reforma da Previdência

“Precisamos levar esse debate a todos os âmbitos sociais. Cada trabalhador e cada trabalhadora precisa estar consciente dos malefícios que a reforma da Previdência causará em suas vidas. Os jovens, que compõem grande parte dos desempregados, principalmente. Vamos dizer não à reforma”, destacou o presidente da CUT Brasília, Rodrigo Britto, em aula pública sobre o Projeto de Emenda Constitucional (PEC 006/2019).

A atividade, organizada pela Juventude do Partido dos Trabalhadores do Distrito Federal, aconteceu nessa quarta (10), na Universidade de Brasília, e contou com a participação da presidenta do PT, Gleisi Hoffmann; a deputada federal, Erika Kokay; e o líder do PT na Câmara dos Deputados, Paulo Pimenta.

“Realizamos essa atividade para ressaltar a importância de barrarmos a reforma da Previdência. Muitos jovens acham que a questão da aposentadoria está muito distante, mas, na verdade, ela está batendo na nossa porta. Então, precisamos lutar agora contra essa medida. Estamos fazendo o debate com cada jovem para que ele tenha consciência do que essa PEC representa”, disse a secretária da Juventude do PT-DF, Letícia Espíndola.

O estudante de Artes da UnB e diretor de assistência da União Nacional dos Estudantes (UNE), Hélio Barreto, é totalmente contrário à reforma, e vê a aula como uma iniciativa extremamente importante, já que os jovens serão um dos grupos mais afetados pela medida. Além disso, ele destaca que o projeto apresentado pelo presidente não está muito claro para a juventude e, por isso, a necessidade do debate.

“A proposta do Bolsonaro está muito clara. Quando ele propõe retirar a Previdência do Sistema de Seguridade Social, ou seja, tirar da Constituição, automaticamente, ele está dizendo que não é mais um direito assegurado a todos”, afirmou.

Para Gleisi, faz-se necessário esclarecer ao povo sobre o que está acontecendo. “As pessoas já têm percepção de que as coisas não estão boas e de que o governo não é bom, e que há um processo de destruição de muitas coisas. Porém, é um processo muito rápido de desconstrução daquilo que construímos”, explica.

A parlamentar destaca ainda que levar o debate aos jovens é fortalecer a luta. Isso porque “a juventude já é aguerrida por natureza. É do enfrentamento”. “Se eles tiverem essa consciência de defesa dos nossos direitos e for para a rua, tenho certeza que mexe com a população”, disse.

Todos e todas à Câmara

Na próxima quarta (17), há a previsão da PEC 006/2019 será votada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. Para tentar barrar a votação, a CUT Brasília convoca todos os trabalhadores e trabalhadoras para somar força e impedir que o projeto avance.

“Não deixe que os outros façam o que quiserem com sua aposentadoria. É preciso se mobilizar, ir às ruas e dizer não à retirada de direitos. Portanto, no dia 17, participe da mobilização em defesa da Previdência”, convoca Erika.

“O que acontece em Brasília repercute em todo o Brasil. Aqui é o palco da luta concreta. É muito importante que a gente mostre que há resistência aqui, por que isso estimula que outras pessoas em todo o Brasil também se mobilizem”, avaliou Paulo Pimenta.

Fonte: CUT Brasília

Deixe um comentário:

Digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome