Pesquisa aponta que mais de 70% das jornalistas já sofreram assédio sexual no trabalho

Uma pesquisa desenvolvida pelo Coletivo de Mulheres Jornalistas do Distrito Federal sobre assédio sexual sofrido por jornalistas no ambiente de trabalho já tem uma prévia dos resultados. De acordo com as mulheres que participaram do levantamento, 74,3% das profissionais já sofreram assédio sexual em algum momento da atividade profissional. Participaram do levantamento 148 jornalistas.

Dessas mulheres, 73% foram assediadas por um superior (chefe, editor, dirigente, etc). Já 44,3% foram assediadas por um colega de trabalho; e 32,2% por algum entrevistado. Várias jornalistas apontaram ter vivenciado mais de uma situação de assédio sexual durante o exercício da profissão.

O levantamento visa ampliar a conscientização sobre as diferentes formas de assédio sexual no espaço de trabalho e combater essa prática, muitas vezes naturalizada. Embora a pesquisa foque as profissionais que trabalham no Distrito Federal, o formulário foi respondido também por jornalistas de outros estados.

O resultado detalhado da pesquisa será divulgado em evento do Coletivo de Mulheres Jornalistas do DF que será realizado no dia 23 de março, para marcar o Dia Internacional de Luta das Mulheres, comemorado nesta sexta-feira 8 de março.

Fonte: Coletivo de Mulheres Jornalistas do DF

Deixe um comentário:

Digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome