Sinpro realiza concurso de redação para estudantes da rede pública

Estão abertas as inscrições para o X Concurso de Redação e Desenho do Sindicato dos Professores do Distrito Federal (Sinpro-DF). Para participar, os estudantes da rede pública de ensino podem se inscrever clicando aqui , até 29 de março. A ação integra a campanha permanente e pedagógica intitulada “Quem bate na escola maltrata muita gente”, iniciada em 2008, para fomentar a reflexão sobre as causas e as consequências da violência na escola, e para buscar soluções.

O concurso é destinado aos alunos da rede pública, que podem concorrer com apenas um trabalho. No entanto, professores ou orientadores educacionais poderão trabalhar com vários estudantes. Assim, o mesmo professor poderá ser indicado por vários estudantes e, caso isso aconteça, poderá ser premiado mais de uma vez.

Sobre o tema

Este ano, o concurso abordará um assunto que, ainda hoje, carece de muito debate na sociedade: a violência contra a mulher. Por isso, os trabalhos devem ser produzidos com base no tema “Feminicídio: ato final da violência doméstica”.

Segundo dados do Mapa Violência, divulgados em 2018, o Brasil registrou 13 mulheres assassinadas por dia e quase cinco mil sentenças. As informações mostram ainda que a maior parte das agressões e assassinatos ocorre na casa da vítima.

Historicamente, a mulher chegou a ser considerada um ser sem alma, ou um “não-ser”. Hoje, apesar das conquistas nos espaços sociais, a figura feminina permanece vítima do patriarcado e do machismo. No DF, por exemplo, de janeiro a agosto de 2018, 20 mulheres foram vítimas de feminicídio.

As produções

Os estudantes da Educação Infantil, do CEE e classes especiais, bem como os matriculados do 1º ao 3º ano do ensino fundamental/EJA expressarão sua opinião por meio de desenho. Já os alunos do 4º ao 9º ano do Ensino Fundamental/EJA e do Ensino Médio/EJA, discutirão a temática na forma de redação.

O prazo para entrega das produções é até 20 de outubro. As redações e os desenhos deverão ser encaminhados à sede ou subsedes do Sinpro, às escolas, ou poderão ser deixadas à disposição dos diretores do sindicato, que irão buscá-las até a data limite.

A comissão julgadora será formada por professores e orientadores educacionais da rede pública. Para garantir transparência no processo, o grupo receberá os trabalhos sem identificação da escola, do nome do estudante ou do professor que orientou o trabalho.

Fonte: CUT Brasília com informações do Sinpro-DF

1 comentário

Deixe um comentário:

Digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome