Em deliberação histórica, Congresso do Andes se soma à luta por Lula Livre

Está a cada dia mais explícito que Lula é um preso político. Diante do ataque à democracia, diversas organização não ligadas ao Partido dos Trabalhadores se somam à Lula por Lula Livre. Foi o que decidiu o ANDES-SN (Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior), durante o 38º Congresso, realizado em Belém (PA), no início deste ano.

A deliberação foi tomada quando a plenária discutiu a luta contra a criminalização do movimento sindical e movimentos sociais e a liberdade de presos políticos. Para o grupo, a prisão de Lula está no campo das arbitrariedades e das interpretações tendenciosas da Justiça, que ameaçam direitos constitucionais.

Foi tratada como um caso de luta contra arbitrariedades, no campo das interpretações tendenciosas da Justiça que ameaçam direitos constitucionalmente reservados, a exemplo do que ocorrer nos ataques à liberdade de cátedra dos docentes.

“A bandeia de inclusão da liberdade de Lula não é uma questão meramente partidária, é uma temática cara ao sindicato, no sentido de entender a liberdade do ex-presidente no contexto da luta contra a criminalização dos movimentos sociais, da perseguição contra docentes na universidade e dos ataques à liberdade de cátedra. Essa bandeira sinaliza a luta contra as arbitrariedades e permite que nosso sindicato atue de forma ampla e aberta contra a perseguição de qualquer cidadão”, afirma o vice-presidente da ADUnB (Associação dos Docentes da Universidade de Brasília), Jacques Novion.

Já o presidente da ADUnB, Luiz Antonio Pasquetti, afirma que “a questão do Lula Livre, que é um processo bastante questionado, foi aprovada no contexto de pensar as liberdades democráticas, o Estado de Direito”.

Fonte: CUT Brasília

11 Comentários

  1. Comemoro esta decisao!
    Já estava considerando minha desfiliação do ANDES em face da posição absurda de meu sindicato em relação ao que está acontecendo com Lula desde o Golpe que destituiu a Presidenta Dilma. Também neste doloroso episódio, achei tibia a postura do ANDES. Tomara que reveja esses equívocos.

  2. O ANDES nasceu na e da luta contra a ditadura militar, teve uma trajetória histórica no restabelecimento da democracia, na defesa dos direitos do educador. O silêncio que se impôs nestes últimos anos, diante do arbítrio que se instalava no Brasil, foi vergonhoso. Que bom que se acordou! A defesa da democracia e por Lula Livre transcende a pequenez política e coloca o sindicato no patamar de onde jamais deveria ter saído.

  3. Como membro do Andes e da Adufpa (UFPA) considero que a luta por colocar o Andes no campo da luta social de massas é um processo que passa pelo Lula Livre e pela Renovação do Andes: Renova Andes.

Deixe um comentário:

Digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome