Movimentos sociais e sindical lançam manifesto em apoio à CNBB

Na manhã desta quinta (29), dirigentes sindicais e de organizações sociais entregaram um manifesto em solidariedade à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Foram mais de 30 entidades que compuseram o documento, entre elas a CUT Brasília e o Sinpro-DF.

A iniciativa foi motivada pelo grau de animosidade utilizado na campanha eleitoral de Jair Bolsonaro (PSL), por ele e seus seguidores, contra a CNBB. Ataques considerados “sórdidos”, que incluíram, até mesmo, ameaças de morte.

No manifesto, as entidades apontaram “seu profundo reconhecimento e respeito pela CNBB, que sempre desempenhou, nos mais graves momentos da história do Brasil, papel decisivo na construção de mediações e na resolução de conflitos”. O documento destaca também que a CNBB sempre ajudou os movimentos dos trabalhadores em momentos de luta, construindo diálogos com os governos intransigentes.

No entendimento das organizações, o organismo eclesial exerceu papel preponderante na reconstrução da democracia do Brasil após a sua total destruição nos mais de 20 anos de ditadura militar. A declaração reconhece a ação histórica da CNBB na convocação da Assembleia Nacional Constituinte e no restabelecimento das eleições diretas para todos os cargos eletivos nos Poderes Executivo e Legislativo das esferas da União.

Também assinala o cenário pelo qual o país atravessa com a eleição de um militar reformado da extrema direita – com uma campanha realizada com base em fake news e sob a ingerência de países estrangeiros, como os EUA e Israel – uma grave ameaça de ruptura da democracia, da paz e da ordem constitucional.

Na cerimônia de entrega do manifesto, o diretor do Sinpro-DF e secretário de Políticas Sociais da CUT Brasília, Yuri Soares, destacou que os ataques desferidos pelos setores autoritários à CNBB advêm dos mesmos atores que atacam os sindicatos, as centrais sindicais, os movimentos sociais e do campo.

“Por isso  é importante, mais do que nunca, a unidade do povo e das entidades, e seguir na resistência, com o lema que está, hoje, nos movimentos sociais de que ‘ninguém solta a mão de ninguém’. Vamos continuar em solidariedade, nos apoiando, em defesa dos direitos do povo brasileiro”.

Leia, na íntegra, o Manifesto em Solidariedade à CNBB.

Fonte: CUT Brasília com informações do Sinpro

Deixe um comentário:

Digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome