Sem proposta do governo, professores de Santo Antônio do Descoberto entram em greve

Desde o último dia 8, professores do ensino fundamental de Santo Antônio do Descoberto, município goiano que fica a cerca de 50 Km do centro de Brasília, pressionam o governo local para rever um direito retirado injustamente. Mas a paralisação da categoria não adiantou. Sem qualquer manifestação da prefeitura, a categoria deflagrou greve em assembleia realizada nesta terça-feira (15/5).

Neste mês de maio, o salário dos professores do município veio pela metade. Isso porque um parecer jurídico do subprocurador de Santo Antônio do Descoberto – que também é genro do prefeito – alega que os cálculos para a remuneração dos professores estão incorretos. O Sindisad ─ sindicato que representa o funcionalismo público do município ─ rebate e diz que não há qualquer tipo de erro no cálculo da remuneração da categoria. A presidenta do Sindicato, Clenilda Melquíaldes, ainda alerta que, caso houvesse algum tipo de erro que resultasse no encolhimento salarial, o tema deveria ser discutido na Câmara Legislativa ou declarado inconstitucional.

“Somos uma das categorias de trabalhadores mais importantes, pois formamos outros profissionais. Não merecemos tamanha injustiça. Não vamos desistir de nós; vamos ficar firmes”, disse Clenilda Melquíaldes.

Antes da assembleia desta terça-feira, os professores de Stº Antônio do Descoberto realizaram ato em frente à prefeitura e, mais uma vez, tentaram diálogo com o prefeito. Sem sucesso, a categoria foi até à Secretaria de Educação. De acordo com a presidenta do Sindsad, o secretário da pasta também não apresentou propostas aos professores. “Ele (o secretário – Roberto da Mata) disse que não tinha autonomia para devolver o dinheiro que foi cortado da gente. Mas disse que tem dinheiro na conta e que, assim que a Justiça determinar, ele devolverá o valor.”

Segundo Clenilda Melquíaldes, o Sindsad tem uma liminar que declara a ilegalidade do corte salarial dos professores do município. “Entendemos que houve uma desobediência de sentença judicial por parte da prefeitura. Esperamos que a Justiça se manifeste o quanto antes”, diz a sindicalista.

O presidente da CUT Brasília, Rodrigo Britto, vem acompanhando de perto a manifestação dos professores de Santo Antônio do Descoberto. “É inadmissível que haja arbitrariedades como essa, que prejudicam o trabalhador e a trabalhadora. Nós da CUT estamos juntos com a categoria e não vamos recuar. A unidade vai trazer a vitória”, avalia.

Atualmente, o município de Santo Antônio do Descoberto tem cerca de 560 professores. Segundo o Sindsad, pelo menos 80% da categoria aderiu ao movimento paredista.
Os professores realizarão nova assembleia nesta sexta-feira (18/5), em frente à prefeitura.

Fonte: CUT Brasília

Deixe um comentário:

Digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome