Professores de Santo Antônio do Descoberto cruzam os braços contra o corte salarial

Nesta terça (8), os professores de Santo Antônio do Descoberto (SAD), em Goiás, foram surpreendidos com o corte de quase 50% em seus rendimentos mensais. Tratava-se de mais um desrespeito da administração do município, que havia se comprometido em manter o salário integral dos docentes. Diante do ocorrido, a categoria não teve outra opção, senão cruzar os braços por tempo indeterminado e reivindicar o que lhes é de direito.

De acordo com a presidenta do Sindisad ─ sindicato que representa o funcionalismo público do município ─, Clenilda Melquíaldes, os cortes foram motivados por um parecer jurídico do subprocurador de SAD, que alega que os cálculos para a remuneração dos professores estão incorretos. No entanto, a dirigente destaca que a entidade sindical conseguiu uma liminar que garante que não há incorreções. Além disso, para que houvesse encolhimento salarial, o tema deveria ser discutido na Câmara Legislativa ou declarado inconstitucional, o que, de acordo com Clenilda, não ocorreu.

“Eles haviam garantido de que não haveria nenhum corte. Sem contar, que estão passando por cima de uma decisão judicial. Temos ainda conversado com vereadores. Eles estão do nosso lado e garantem que vão se articular para que haja a devolução do que foi descontado dos salários. Continuaremos mobilizados até que sejam restituído os valores”, defendeu.

Mobilização pesada

Como parte da mobilização, os professores realizaram uma assembleia nesta quarta (9) pela manhã para avaliação do movimento. No período da tarde, participaram de uma reunião com a juíza, onde solicitaram a imediata compensação do que foi deduzido.
Um novo encontro da categoria está agendado para esta quinta (10), em frente à prefeitura, a partir das 8h30.

Deixe um comentário:

Digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome