Tudo que você precisa saber sobre o 13º Cecut e o 12º Concut

Coordenador adjunto da 13º Congresso da CUT Brasília (Cecut) e 12º Congresso Nacional da CUT (Concut), Rodrigo Rodrigues apresenta aqui todas as orientações e explicações necessárias sobre o processo de realização dos Congressos, bem como detalha as inovações implementadas em 2015 para garantir e aumentar a participação das bases na análise da conjuntura local e nacional e na formulação de estratégias e plano de lutas da Central para os próximos anos.

Confira:

1) O que é o Concut?

O Congresso Nacional da CUT (Concut) até aqui acontecia a cada três anos. Este 12º Concut será o último com essa periodicidade. O próximo ocorrerá daqui quatro anos acompanhando o novo tempo gestão das novas direções.

O 12º Concut  possui várias etapas. A primeira delas é a assembleia de base, onde cada sindicato filiado elege os delegados que participarão do Congresso Estadual ou Distrital (Cecut) e poderão ser selecionados para participar do Congresso Nacional (Concut). Além disso, cabe aos sindicatos realizarem discussões com a base e formularem um texto, com análises de conjuntura e propostas de ação e de organização, que será encaminhado à Secretaria-geral da CUT Brasília, que deverá sistematizar todo esse material dos sindicatos e levá-lo ao Cecut.

2)  Qual é a finalidade do Congresso?

O Congresso Nacional é o órgão máximo deliberativo dentro da Central Única dos Trabalhadores. Sua principal função é avaliar a última gestão da diretoria da CUT, onde os delegados apontam os pontos positivos e as falhas, e elegem uma nova diretoria. É uma ocasião em que se realizam análise de conjuntura, mudanças e consolidações no projeto político-organizativo da Central e são definidas as novas estratégias de ação e o plano de lutas da Central na defesa dos interesses dos trabalhadores para os anos seguintes.

3) Quais foram as mudanças incorporadas ao Concut este ano?

Neste 12º Concut temos algumas novidades. Uma delas, como já apontamos, o tempo de mandato, que passará de três para quatro anos.  O próprio processo de construção do Congresso sofreu alterações, agregando as assembleias de base e, com elas, a sistematização de um texto construído pelos trabalhadores e aprovado pelas coordenações. É o contrário do que aconteceu nos anos anteriores, quando as diretorias construíam um texto básico e aprovavam e incluíam tópicos durante as assembleias. Agora, o processo começa realmente das bases. A partir de todos esses debates que forem feitos nas assembleias de base, no congresso de Brasília, nos congressos estaduais (Cecuts) e no congresso nacional (Concut), será definido um texto final de plano de lutas e pauta da classe trabalhadora, para poder orientar a nova direção que se elege.

4) Qual será o cronograma até o 12º Concut?

Os sindicatos devem realizar suas respectivas assembleias de base até o final de abril. Cada sindicato deve comunicar  a data, o horário e o local de sua assembleia à CUT Brasília, que enviará um representante da Central para acompanhar o encontro. Esse procedimento é obrigatório para validar a assembleia e a eleição de delegados da base. Imediatamente após a assembleia, num prazo máximo de sete dias, cada sindicato deve repassar o texto com as análises e as propostas aprovadas pela base à Secretaria-geral da CUT Brasília  pelo email secretariageral@cutbrasilia.org.br.

Os delegados eleitos participarão do 13º Congresso de Brasília (Cecut Brasília) marcado para os dias 28, 29 e 30 de maio, nas instalações da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), no Núcleo Bandeirante, em Brasília.

Todos os Congressos estaduais (Cecuts), assim como o de Brasília. devem ser realizados de 15 de maio até 31 de agosto, com eleição e posse das novas diretorias locais. As resoluções são encaminhadas à CUT nacional, que sistematizará as propostas para apresentação, discussão e aprovação no 12º Congresso Nacional da CUT (Concut), que será realizado nos dias 13, 14, 15, 16 de outubro, em São Paulo.

5) Como será a programação do 13º Cecut de Brasília?

A programação ainda não está totalmente definida, mas podemos adiantar que no primeiro dia (28 de maio) será feita uma abertura oficial e no segundo dia (29) acontecerá uma análise de conjuntura  e debate sobre as lutas da classe trabalhadora e as reformas necessárias para avançar na pauta trabalhista. No terceiro dia (30), será realizada a discussão sobre a gestão e a eleição da nova diretoria.

Deixe um comentário:

Digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome