Preparativos para a Caravana da Solidariedade à Cuba motivam ciclo de debates

A consolidação do regime socialista de Cuba, bloqueio econômico praticado pelos Estados Unidos e as mudanças na correlação de forças internacionais verificadas nas últimas décadas foram alguns dos temas discutidos na última terça-feira (22), no auditório da sede da CUT Brasília.

A palestrante Maria Auxiliadora Cesar, professora há 20 anos do Núcleo de Estudos Cubanos da Universidade de Brasília, Filiação STTR DF à CUT Brasíliadiscorreu sobre os dados mais recentes das três principais conquistas sociais de Cuba: saúde, emprego e educação. Estabeleceu um contraponto entre as políticas sociais no capitalismo e no socialismo, especialmente no caso cubano, e fez uma retrospectiva histórica desde o triunfo da revolução em 1959. “Achei a atividade muito boa, com um público excelente, que terá um conhecimento básico sobre a ilha antes de visitá-la, porque os grandes meios de comunicação passam a imagem de uma Cuba que não existe”, destaca.

O debate faz parte da segunda etapa de uma série de atividades de preparação para a Caravana da Solidariedade à Cuba. A primeira etapa, realizada em junho deste ano, contou com a participação do sindicalista Afonso Magalhães que palestrou sobre a Revolução Cubana. Esta segunda tratou sobre “Conquistas Sociais em Cuba”. O terceiro encontro está previsto para o dia 19 de agosto, com o tema ‘Cuba hoje e seus desafios’, e o quarto no dia 23 de setembro com o tema ‘Futuro – Perspectivas para Cuba’.

O ciclo se encerra somente no dia 14 de outubro com uma ‘Terça Cultural’ que será um intercâmbio realizado sob o ponto de vista cultural, político e econômico.

Ismael José César, secretário de Política Social da CUT Brasília, ressalta a importância das relações politicas e econômicas estabelecidas entre Brasil e Cuba e defende a realização das atividades de preparação para a Caravana. 

“O que nós queremos com esses módulos é promover a consciência política dos companheiros para além da viagem e fazer com que entendam o processo revolucionário ocorrido em Cuba, que hoje é uma referência importante para os povos da Ámerica Latina”, finaliza.

Os encontros são destinados para interessados nas questões cubanas, dirigentes, representantes de movimentos sociais e militantes sindicais inscritos para a Caravana de Solidariedade à Cuba, que permanecerá em Havana de 27 de outubro a 2 de novembro. 

Na ilha, os sindicalistas conhecerão a Central dos Trabalhadores Cubanos (CTC) e visitarão escolas, fazendo doações de materiais escolares. Todas as visitas terão como objetivo conhecer a luta pelo socialismo, levando em consideração que Cuba foi um dos primeiros países a implantar o sistema socialista, resistindo até hoje aos fortes boicotes internacionais.

A Campanha de Solidariedade

Diversas entidades progressistas, culturais e sociais do Brasil se uniram na defesa das causas cubanas e pela manutenção de sua soberania. Cada uma delas, de sua maneira, colabora para fortalecer os laços de amizade e fraternidade entre o povo brasileiro e o povo cubano. Os principais pontos debatidos são: a ofensiva midiática contra Cuba, as denúncias do bloqueio econômico imposto pelos Estados Unidos e outros países imperialistas e a realidade de Cuba na atualidade.

Deixe um comentário:

Digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome